noComentários

Qual o futuro do mercado imobiliário?

Apesar dos primeiros sinais de desaceleração do mercado, é preciso manter a válvula de segurança puxada, pois o setor continua mais quente do que nunca para os compradores, com alguns aumentos de preços. 

Tudo por conta de um descompasso entre oferta e demanda, mas isso não causará a chamada bolha imobiliária que muitos especialistas previam. Quer entender melhor sobre o tema? Então, continue com a gente!

Previsões do mercado imobiliário para o futuro

Apesar de uma menor porcentagem no que diz respeito ao otimismo de alguns compradores, que planejavam fazer a aquisição de uma nova casa ou apartamento, ainda há famílias interessadas neste tipo de investimento. 

Isso se dá, especialmente, aos compradores mais jovens e que, provavelmente, são os chamados ‘marinheiros de primeira viagem’. Eles estão lutando para economizar os salários e adiantamentos, pois os aluguéis continuam atingindo níveis recordes. 

Portanto, é um planejamento que serve como uma tela fachadeira, protegendo-os de tudo aquilo que pode atrapalhá-los a curto e médio prazo. Simultaneamente, as expectativas dos vendedores para pagamentos iniciais maiores parecem estar aumentando, alimentadas por um nicho competitivo e por compradores recorrentes e com capital robusto. 

É improvável que esta demanda passe de um “mercado de vendedores” para um “mercado de compradores” em breve. O aumento das taxas de juros, por exemplo, pode tirar um pouco da força, fazendo com que menos empreendimentos na planta surjam. Isso diminuiria a taxa de valorização das casas e reduziria a possibilidade de superaquecimento. 

Os preços dos imóveis continuarão subindo

Muitos proprietários de casas ou apartamentos precisaram diminuir os aluguéis, porém, já no início de 2022, notou-se uma elevação nesses valores. A FGV (Fundação Getúlio Vargas), fez uma estimativa que mostrou essa porcentagem em determinadas capitais:

  • São Paulo: +4,88%; 
  • Rio de Janeiro: +3,88%; 
  • Belo Horizonte: +5,96%; 
  • Porto Alegre: +4,70%.

E os preços das casas, apartamentos e terrenos (sejam eles para compra ou aluguel) continuarão subindo, visto que, com a combinação do aumento dos preços e das taxas de juros, menos pessoas poderão comprar.

A importância da análise de mercado imobiliário

Uma análise do mercado imobiliário é importante pois trará à tona os valores atuais, para que o cliente possa comparar com aquela que deseja. Seja um apartamento ou um terreno para a construção de uma empresa de pintura industrial.

Isso o ajudará a entender o mercado atual, quanto valem imóveis similares, se é um bom investimento, quanto pode cobrar de aluguel, etc. Agentes imobiliários e corretores criam relatórios para que vendedores definam os preços de tabela para as casas e, com menos frequência, para ajudar os compradores a fazer ofertas competitivas.

As informações coletadas dão escopo para que o vendedor liste os preços e saiba se está muito alto, muito barato ou na média. Com tudo isso dito, fica claro a necessidade de estudar as oscilações econômicas e tudo aquilo que afeta o dia a dia de quem deseja ter uma casa própria, comprar um terreno ou alugar um imóvel;

O que achou do texto de hoje? Curtiu saber mais sobre o futuro do mercado imobiliário? Se gostou, não se esqueça de enviar para os seus amigos e compartilhar em suas redes sociais, até a próxima!

Responder