noComentários

4 dicas para ensinar educação financeira ao seu filho!

A educação financeira já é considerada obrigatória dentro das escolas desde 2021, e esse tema vem ganhando cada vez mais força dentro do nosso dia a dia. Muitos pais vivem se perguntando se existe uma idade certa para que o filho aprenda sobre dinheiro e finanças, mas a realidade é que quanto antes, melhor. 

Muitas vezes, falar sobre assuntos financeiros antes dos 16 anos é um grande tabu dentro da maioria dos lares, mas a realidade é que, com a informação chegando cada vez mais rápida, e a tecnologia avançando de maneira gradativa, quanto antes os filhos aprenderem sobre educação financeira, melhor será para seu futuro. 

É claro que, a abordagem deve ser diferente do que uma conversa entre adultos falando sobre investimentos ou preços de fios e cabos elétricos, porém, é necessário introduzir a educação financeira aos poucos, de maneira prática e efetiva. No texto de hoje, vamos mostrar 4 dicas para que você consiga ensinar educação financeira ao seu filho de maneira sútil e certeira, bora conferir? Então vamos lá!

  1. Incentive a consciência sobre valores

A primeira e talvez mais preciosa dica de nosso artigo é justamente ensinar o seu filho, sobre a consciência dos valores. Mostre para ele de maneira prática, seus gastos, seus ganhos e o quanto cada pequeno detalhe vale dentro do mundo financeiro.

Dê exemplos quando você for comprar um brinquedo novo, uma roupa, ou quando for sair para comer, faça com que ele reconheça o valor de cada coisa baseado no quanto você tem e comece a criar esse pequeno senso de consumo nele desde cedo. 

Tente relacionar o esforço dela atrelado a uma consequência, como comprar um novo videogame depois dela cumprir suas tarefas e não apenas porque pediu. Tudo isso, ajuda ela a entender o valor do dinheiro e saber que, para conquistar é preciso batalhar, como você faz quando atua em uma empresa de quadro de distribuição

  1. Incentive seu filho a poupar dinheiro e faça da mesada uma aliada na educação financeira

É importante mostrar o quanto ter um dinheirinho guardado, pode ajudar em momentos de necessidade e o quanto ele pode ser útil para o futuro. Incentive o seu filho a poupar dinheiro, e realizar determinadas escolhas que podem ser difíceis mas são necessárias. 

Use a própria mesada que ele ganha como fonte de inspiração, se ele deseja um brinquedo caro, por exemplo, mostre que, poupando alguns meses da mesada, ele pode alcançar esse objetivo, ensine a ele trocar o imediatismo por um investimento a longo prazo. 

  1. Inclua seu filho em cada pequena decisão financeira 

Realize testes com seus filhos e inclua ele em cada pequena decisão financeira que você tomar, separe um orçamento específico e dê algumas opções para que ele escolha o que deve ou não ser comprado, seja em um supermercado ou até mesmo em um restaurante. 

Isso ajuda a conscientizá-lo do que é mais importante, além é claro, de gerar um momento divertido, mostrando autonomia e poder em tomadas de decisão de acordo com aquilo que é melhor ou pior. 

  1. Ensine desde cedo o seu filho a comprar aquilo que é útil

Para algumas crianças, o útil pode ser um brinquedo novo, um doce, ou algo que não é necessariamente útil, então, é importante que você desde cedo, já comece a ensinar seu filho a comprar aquilo que é útil, e novamente, deixar o imediatismo de lado e focar em um longo prazo.

Ofereça opções, faça com que ele entenda o que é ou não é necessário, mostre os gastos que você possui, o que é essencial na vida como alimentação, higiene e saúde, aprendendo desde cedo a importância de alguns itens e produtos como discos de corte, fica muito mais fácil dele assimilar a situação e tomar decisões mais assertivas. 

Agora conte para gente nos comentários abaixo, o que achou sobre o texto de hoje, curtiu? Não se esqueça de compartilhar com seus amigos e com sua família e até a próxima. 

Esse artigo foi escrito por Iago Lourenço, criador de conteúdo do Soluções Industriais. 

Responder