noComentários

8 dificuldades do mercado de emprego para pessoas LGBTQI+

Infelizmente, ainda hoje, a homofobia, transfobia e outros tipos de discriminações relacionadas à sexualidade são enormes e preocupantes, inclusive quando se trata do mercado de emprego.

Não importa se são gays, lésbicas, bissexuais, acompanhantes travestis e assim por diante, as pessoas merecem respeito em qualquer tipo de ambiente.

Quando se trata do mercado de trabalho, as pessoas da comunidade LGBTQI+ acabam passando por situações horríveis e, por esse motivo, muitas delas preferem não assumir a sexualidade em empresas.

Essa é uma situação que costuma ser frustrante, já que a pessoa deixa de se assumir por medo disso prejudicá-la no trabalho.

É importante deixar claro que a opção de assumir ou não a sexualidade no ambiente corporativo é uma decisão de cada pessoa.

Ninguém deve pressionar outra pessoa a fazer isso, já que somente ela pode decidir se está preparada para tomar essa decisão ou se é realmente isso que ela quer.

No entanto, as dificuldades do mercado de emprego para pessoas LGBTQI+ real e precisamos falar sobre elas.

Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Desafios que pessoas LGBTQI+ enfrentam no ambiente de trabalho

Os direitos de pessoas LGBTQI+ têm conquistado um espaço significativo no local de trabalho nos últimos anos, mas ainda está longe de ser o ideal.

Veja a seguir quais são os principais desafios que a comunidade LGBTQI+ enfrenta no ambiente de trabalho.

1. Ansiedade porque ainda não se assumiu

Se a pessoa ainda não assumiu a sua sexualidade no ambiente de trabalho, pode ser que ela tenha que lidar com a ansiedade de tentar “disfarçar” a sua forma de agir.

Ela faz isso porque quer que as pessoas assimilem o seu jeito de agir às normas heterossexuais. Com isso, pode se sentir desconfortável consigo mesmo.

2. Medo de ser “descoberto”

Relacionado com o tópico anterior, o medo de ser “descoberto” pode provocar diversas sensações negativas.

Algumas pessoas têm muito medo de que algum colega de trabalho descubra acidentalmente sobre a sua orientação ou identidade sexual. Por exemplo, isso pode acontecer devido às redes sociais.

Caso isso aconteça, a pessoa pode se sentir com medo de que o amigo mude o seu comportamento, principalmente no ambiente de trabalho.

3. Ter que se envolver em conversas desagradáveis

Pode ser um grande desafio para algumas pessoas LGBTQI+ participarem de determinadas conversas, especialmente quando ela é composta por pessoas heterossexuais.

Quando falamos que são “conversas desagradáveis”, estamos falando sobre aqueles onde sempre costumam surgir as seguintes perguntas:

  • Por que você ainda está solteiro?
  • Você vai encontrar uma namorada legal (quando, na verdade, não têm interesse em mulheres.

Além disso, também podem comentar sobre outras pessoas que fazem parte da comunidade LGBTQI+, o que pode gerar muito desconforto.

4. Lidar com mudança de comportamento dos colegas

Depois de se assumir, algumas pessoas, infelizmente, precisam lidar com a mudança de comportamento de alguns colegas de trabalho.

Pode ser que eles passem a tratar a pessoa LGBTQI+ de forma mais distante, fria ou reservada. Além disso, podem começar a fazer suposições estereotipadas negativas e/ou de forma hostil.

5. Precisa lidar com fofocas ao seu respeito

Quando o funcionário é assumido, ou acaba de se assumir, pode ser que funcionários da empresa passem a fazer fofocas sobre ele.

Esse é um grande desafio que as pessoas LGBTQI+ precisam enfrentar, já que as fofocas podem se espalhar pela empresa e até mesmo nas redes sociais.

6. Ter que lidar com comentários depreciativos

Infelizmente, algumas pessoas LGBTQI+ precisarão lidar com comentários depreciativos e homofóbicos.

O pior de tudo é que esses comentários podem vir de gerentes, outros “líderes”, colegas de trabalho, clientes e assim por diante.

Ao passar por esse tipo de situação, pode ser que a pessoa não tenha reação e não saiba o que responder.

No entanto, se esforce para falar o que pensa e deixe bem claro o que achou sobre a situação. Não admita comentários preconceituosos mesmo que eles sejam feitos “de brincadeira”.

7. Lidar com rejeições de promoções mesmo tendo as qualificações

Embora a pessoa tenha as qualificações adequadas, pode ser que ela não consiga ter a promoção que gostaria devido a sua sexualidade.

Infelizmente, essa situação pode acontecer, mas é necessário saber como lidar com ela para não perder oportunidades de promoções.

8. Não ter os mesmos privilégios que heterosexuais

Os privilégios para heterossexuais estão presentes nas empresas, mas como é possível lidar com essa situação? Por que a comunidade LGBTQI+ também não pode ter acesso a certos privilégios?

No ambiente de trabalho, existem algumas questões importantes relacionadas ao preconceito. Algumas delas são:

  • Falta de banheiro com gênero neutro ou sinalização inadequada;
  • Preencher documentos de emprego/recursos humanos com apenas duas opções de gênero: “masculino” ou “feminino” (ou seja, estado civil, plano de saúde, programa de aposentadoria, etc.);
  • Se o funcionário LGBTQI+ receberá assistência médica de gênero, seguro de vida, invalidez e outros benefícios trabalhistas;
  • Cobertura de seguro saúde de emprego inadequada ou inexistente para pessoas LGBTQI+ significativas e dependentes;
  • Cobertura de seguro de vida inadequada ou inexistente para parceiros e dependentes LGBTQI+;
  • Cobertura de seguro de invalidez inadequada ou inexistente para parceiros importantes e dependentes LGBTQI+.

Últimas considerações

As pessoas da comunidade LGBTQI+ precisam ter as mesmas oportunidades que pessoas heterossexuais.

O correto é que ninguém tivesse que passar por nenhuma dificuldade no ambiente de trabalho, porém, ainda não conseguimos ir tão longe.

O caminho para acabar com o preconceito ainda é longo e, mais do que nunca, a comunidade LGBTQI+ não deve desistir de lutar por seus direitos.

Neste artigo, falamos um pouco sobre as dificuldades do mercado de emprego para pessoas LGBTQI+.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo e, caso tenha uma empresa, pense em como é importante que ela seja inclusiva.

Se é funcionário de uma empresa e ainda não se assumiu, faça isso apenas no tempo que achar certo. Não caia na pressão de ninguém e também não deixe que ninguém faça comentários preconceituosos.

Se já se assumiu, continua a sua luta para ter acesso aos seus direitos!

Responder

42 − = 41