noComentários

A importância do posicionamento de marca em causas sociais

Ouvimos falar sobre causa social o tempo todo, mas nem todo mundo sabe do que se trata ou como escolher uma para defender e contribuir. 

Podemos definir  “causa social” como soluções e projetos executados a fim de defender ou combater determinada questão que prejudica parte da sociedade. Há inúmeras frentes de causas sociais que precisam desse suporte, como por exemplo, apoio e proteção às mulheres vítimas de violência doméstica, combate ao racismo, homofobia, pedofilia, fome, etc.

Há, no Brasil e no mundo, milhares de causas que merecem cuidado e séria atenção aos interesses dos beneficiados pelas instituições voltadas às pessoas em situação de vulnerabilidade.

Para escolher uma causa social para apoiar e ajudar, é necessário que você se identifique, encontre algum ponto que te impacte de forma que te faça, genuinamente, querer ser parte e base de apoio a quem precisa. Não importa qual o seu setor atua sobre assuntos financeiros ou impermeabilização de lajes, causas sociais são para todos.

Essas determinações são válidas para pessoas e empresas que têm o interesse de fazer parte desta corrente de ajuda e solidariedade. Pode-se ajudar oferecendo uma oportunidade de trabalho e/ou educação ou com doações. O essencial é estar consciente da responsabilidade e cumprir com o compromisso assumido. As instituições e pessoas auxiliadas por elas passarão a contar com sua ajuda e disposição, por isso, é extremamente importante pensar bem antes de decidir fazer parte das causas sociais.

O posicionamento de marcas sobre as causas sociais

Departamento de marketing, endomarketing e sociais das empresas muitas vezes se perguntam se devem ou não se posicionar sobre suas causas. Algumas marcas têm receio de se posicionar sobre uma questão de interesse social, e com isso, causar problemas à empresa, entretanto, esse pensamento passou a ser considerado raso e até inapropriado dentro do universo empresarial.

Cada vez mais, as marcas se engajam em prol às causas, e por sua vez, desperta admiração e respeito dos consumidores, um fator determinante para tomadas de decisões dentro do negócio. Desde comércio de quadro de distribuição ou redes de supermercados.

Clientes e consumidores do mundo todo preferem consumir produtos e serviços de empresas e lojas que defendem causas que eles também defendem e/ou apoiam. Por exemplo, uma empresa explicitamente defensora dos direitos LGBTQIA +, têm muito mais chances de conquistar também este público e os apoiadores, que não necessariamente fazem parte da sigla, mas se identificam com a importância da causa social.

Posicionamentos e ações como essas fazem toda a diferença no modo como o público e o mercado recebem sua marca, como ela é vista perante os demais. Lembrando que não basta apenas falar, e sim tomar atitudes genuínas e sinceras em prol à causa defendida, não apenas por ser um assunto em alta, com interesses de retorno sem se preocupar verdadeiramente.

Uma empresa pode e deve defender e se posicionar em quantas causas sociais se identificar e quiser, mas é preciso que todas as causas condizem com seus princípios e valores. 

E mais importante do que apenas trabalhar em prol às causas é necessário compreender as pessoas em situação de risco, ou seja, os beneficiados pelas causas sociais, vítimas que são parte da sociedade, ter empatia e se colocar no lugar deles sempre, isso vale para todo segmento de negócio, até mesmo para fábricas de mancal de rolamento.

Sendo assim concluímos que se posicionar perante a uma causa social é fundamental e traz conquistas surpreendentes para qualquer empresa, no entanto, nenhuma causa deve ser defendida por estar na moda ou para “fazer bonito” no mercado, é imprescindível que o posicionamento seja verdadeiro. Este artigo foi desenvolvido pela equipe do Soluções Industriais.

Responder