Saúde Bucal: Saiba a importância da sua saúde bucal na prevenção de doenças

É através da boca que nutrimos todo organismo, principalmente por ser o início do processo digestivo. Justamente por isso que a saúde bucal deve estar sempre em dia.

Realizar visitas frequentes ao dentista é crucial para prevenir e controlar enfermidades inflamatórias e demais doenças, solucionando-as assim que surgem.

Por isso, neste artigo vamos explicar a importância de ter uma boa saúde bucal na prevenção de doenças.

Doenças podem atingir o organismo

São diversas as doenças inflamatórias e bactérias que surgem na boca, como a cárie e a gengivite. Contudo, ainda não são muitas as informações sobre quais os efeitos que elas podem causar ao corpo.

Justamente por isso separamos informações sobre as doenças mais conhecidas, alertando sobre os efeitos que elas podem trazer ao corpo como um todo.

Cárie

A cárie é uma das inflamações mais recorrentes e ela acontece a partir dos ácidos que são produzidos após a ingestão excessiva de açúcar.

Ela provoca uma corrosão nos dentes, atingindo o esmalte e a estrutura de base da arcada dentária. Dessa maneira, pode gerar infecções médias ou gravíssimas.

Dentre os principais sintomas/consequências da cárie estão:

  • Sensibilidade ao mastigar;
  • Dor de dente;
  • Infecção;
  • Perda dos dentes.

Contudo, cabe ressaltar que em alguns casos não há sintomas aparentes e, por isso, é essencial ter o acompanhamento de um profissional.

Já nos casos mais graves, em que há a queda ou a necessidade de realizar a extração, o profissional também deverá ser consultado, de modo a realizar o procedimento com qualidade e segurança, verificando as possibilidades para reposição desse dente.

Uma das opções é o implante dental, que tem como intuito substituir o dente que foi perdido, realizando a fixação na própria estrutura bucal para trazer conforto ao mastigar e falar.

Gengivite

A gengivite é uma das inflamações da gengiva mais perigosas, sendo proveniente do tártaro.

Quando existe a calcificação dos resíduos e bactérias, principalmente quando não há a higienização adequada, forma-se uma placa bacteriana propícia para a manifestação de inflamações e irritações.

Os principais sintomas são dor, inchaço, sensibilidade e vermelhidão. Ainda pode ocorrer sangramento e mau hálito.

Como mencionado, é um problema que pode ser desencadeado por falta ou falha na escovação. Por isso é importante realizar o processo com calma, focando no movimento durante a escovação.

Alguns casos demandam ainda mais atenção ao processo de higiene, como ocorre para aqueles que utilizam próteses móveis, aparelhos (fixos ou móveis) ou ainda implante dentario.

Isso porque cada um desses cenários exige um ponto de atenção, ou acessórios diferentes. No caso do implante, a escovação deve ser feita normalmente, atentando para os sinais da gengiva e passando o fio adequadamente.

Já nos itens removíveis, como é o caso invisalign, a escovação pode ser feita habitualmente, retirando a peça. Contudo, a higienização dos itens também deve ser adequada, com atenção e feita separadamente.

O armazenamento também é um fator importante para impedir a proliferação de bactérias.

Por fim, os modelos fixos, seja aparelho dental transparente ou o tradicional, podem criar uma barreira na escovação (se não for feito com atenção) e, para evitar o acúmulo das placas, é preciso recorrer ao uso de escovas próprias para os pacientes ortodônticos.

Levando esses cuidados em consideração e estando atento aos sinais, desde a cor até a irritabilidade que a gengiva pode apresentar, há como prevenir e buscar atendimento.

Periodontite

A periodontite é uma doença que resulta de uma gengivite não tratada.

Por esse motivo, assim como no tópico anterior, a doença ocorre no tecido gengival, fazendo com que a resistência dos dentes fique mais debilitada.

Contudo, por ser um agravamento, ela atinge mais profundamente a estrutura, podendo tornar os dentes moles e causar a queda.

Nesse caso, o profissional é fundamental para o tratamento ou retirada do dente. Mais ainda, pode ser necessário realizar o implante dentario, conforme a indicação do profissional.

O problema tem como principais sintomas a dor nas gengivas, sangramento, mau hálito, amargura na boca e alta sensibilidade para alimentos frios ou quentes.

Para evitar que os procedimentos de reparação sejam necessários, cuidados precisam ser tomados, como a escovação correta e procurar o profissional assim que notar algum dos sintomas iniciais.

Cabe ressaltar que essa inflamação pode atingir outros órgãos e sistemas do corpo,

podendo alcançar o tecido cardiovascular por meio do sistema circulatório, aumentando as chances de problemas cardíacos.

Agravamentos e demais condições de saúde

Além das complicações orais, a higiene bucal pode prevenir que outras bactérias tenham acesso ao corpo por meio da boca, podendo atingir o coração, como mencionado.

Contudo, além das consequências mencionadas, a saúde bucal impacta diretamente no sistema respiratório e até no controle da diabetes.

No primeiro caso, pode-se destacar que as bactérias presentes na boca podem se acumular e serem aspiradas, causando uma pneumonia por aspiração.

Já no caso da diabetes há dois pontos a se atentar: a realização e recuperação em tratamentos; e o aumento de problemas bucais devido à dificuldade de absorver o açúcar.

Assim, demandam um acompanhamento mais cauteloso, avaliando procedimentos que podem ser realizados e adequando os processos. Mais ainda, podem haver casos de remarcações, para que o paciente possa tratar a queda ou aumento do açúcar.

A alimentação é importante

A alimentação se relaciona diretamente com a saúde bucal, influenciando e sendo influenciada por ela – seja ao ingerir os nutrientes que fortalecem o corpo e a dentição, ou com as inflamações que podem atingir o sistema digestivo.

Além disso, é preciso considerar que alguns procedimentos demandam cuidados após serem realizados.

Por exemplo, quando um paciente realiza a aplicação de uma lente de contato dental, toda a alimentação deve ser adaptada para não prejudicar o tratamento, como reduzir o consumo de alimentos com corantes.

Na prática, essas substâncias já estão entre aquelas que precisam ser evitadas, prevenindo o amarelamento e desgastes no esmalte.

Já entre os alimentos indicados para contribuir com o fortalecimento da estrutura dental e do corpo estão a cenoura, brócolis, maçã, pepino, tomate, alface e outras frutas e vegetais que devem ser adicionados diariamente em sua dieta.

Isso porque frutas e vegetais são ricos em vitaminas, zinco e ferro, que conseguem fortalecer o esmalte dos dentes e dificultar a proliferação de bactérias.

Tenha uma boa higienização bucal

A orientação é que 30 minutos após cada alimentação os dentes sejam escovados.

Isso porque, quando nos alimentamos, a saliva ajuda a produzir um líquido corrosivo para auxiliar na digestão dos alimentos. Assim, ao escovar logo após comer esse ácido ao entrar em contato com a pasta pode prejudicar a saúde bucal.

Para que a escovação se torne completa e eficaz, não se esqueça de fazer o uso diário do fio dental entre os dentes.

Dessa maneira, resíduos de comida que ficaram entre eles são facilmente eliminados, diminuindo as chances de cárie e tártaro.

Após a escovação ter sido realizada por completo, faça o uso do enxaguante bucal.

 Para que a escovação e cuidados com alimentação sejam ainda mais eficazes, o acompanhamento de um profissional deve ser adicionado a suas prioridades mensais.

Não se esqueça de visitar frequentemente um consultório odontológico para ter certeza de que a sua alimentação, escovação e estrutura dentária estão em perfeito estado.

Realizando esses passos você conseguirá ter dentes muito mais bonitos, saudáveis e resistentes.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Vue Odonto, uma rede especializada em atendimento odontológico com enfoque na humanização.

 

Reply