noComentários

Quais os principais tipos de investimento?

Saiba quais são as principais opções de investimentos de renda fixa e variável

Cada vez mais pessoas têm demonstrado o interesse em aprender a cuidar melhor do seu dinheiro e conhecer melhor o universo das finanças. E um dos principais interesses nesse assunto é referente aos diferentes tipos de investimento, visto que eles são uma das formas mais atrativas de aumentar a rentabilidade das finanças.

No entanto, antes de conhecer os diferentes tipos de investimento, é importante saber dois conceitos básicos: o de renda fixa e renda variável, que são as duas principais categorias de investimentos. Elas se diferem, basicamente, quanto a previsão de retorno do investimento, além do risco de aplicação.

A renda fixa envolve investimentos menos arriscados e ainda que o retorno seja inferior, a remuneração é certa. Esse tipo de aplicação é dividido em prefixada, que são os investimentos em que se sabe de quanto será o retorno, e pós-fixada, que está atrelada a um determinado índice da economia, como a Taxa Selic, e pode ser alterada ao longo do ano.

Já a renda variável envolve investimentos em que não há previsibilidade de retorno, visto que a rentabilidade está atrelada a fatores externos. Contudo, apesar da possibilidade de oscilações, esse é um tipo de investimento que se destaca por oferecer retornos maiores do que os de renda fixa.

Quais os principais tipos de investimento?

Com essa divisão esclarecida, fica mais fácil entender os principais tipos de investimento presentes no mercado.

Tesouro Direto

É um dos investimentos de renda fixa mais comuns, em que o investidor empresta seu dinheiro ao Governo Federal em troca de papéis do tesouro. Em troca do empréstimo, o dinheiro aplicado rende juros enquanto estiver com a instituição.

Há uma data de vencimento do Tesouro Direto, quando o Governo devolve o investimento com o valor corrigido pelos juros. No entanto, uma das vantagens desse investimento é que ele tem liquidez diária, ou seja, é possível vender o título em qualquer dia útil para resgatar o dinheiro e ter o valor na conta.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

É um investimento semelhante ao do Tesouro Direto. No entanto, aqui o empréstimo é feito para bancos, sendo que esse investimento é assegurado pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Dessa forma, se a instituição não conseguir quitar a dívida com o investidor, o FGC garante o pagamento total ou parcial do investimento.

Em troca do empréstimo, o investidor recebe os juros do valor emprestado mais os rendimentos. O CDB também tem prazo de validade e conta com liquidez diária, mas atenção: existem casos em que não é possível vendê-los a qualquer momento. Portanto, é necessário se informar sobre as características desse investimento antes de fazer a aplicação.

Fundos Imobiliários

Uma alternativa de renda variável são os fundos imobiliários, uma categoria coletiva de investimentos dessa natureza. Nela, vários investidores se unem para negociar ativos imobiliários, que são escolhidos por uma companhia gestora.

Isso quer dizer que o investidor tem o auxílio de um profissional especializado nesse mercado para selecionar quais ativos deve comprar. Ao adquirir uma parte do imóvel, o investidor se torna um dos donos dele. Com isso, ele recebe o pagamento de aluguéis mensais, que são isentos do Imposto de Renda.

Ações

As ações são o principal exemplo de renda variável no mundo dos investimentos. Ao comprá-las, o investidor adquire frações de uma companhia, tornando-se sócio da mesma. Neste modelo, o patrimônio do investidor irá variar de acordo com o desempenho da companhia, com aumento de valor de mercado quando ela tem lucro ou diminuição se ela apresentar prejuízos.

Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Conhecidos como BDRs, os Brazilian Depositary Receipts são certificados de ações emitidos por empresas estrangeiras, mas que são negociados no Brasil. Isso quer dizer que eles não são papéis de ações em si, mas estão lastreados por eles.

Os BDRs são adquiridos por uma instituição financeira, conhecida como depositária, que adquire as ações de uma empresa internacional. Ela mantém esses papéis depositados e bloqueados, cabendo ao agente depositário a tarefa de receber os dividendos que serão distribuídos por quem comprou as BDRs.

Outra tarefa da instituição depositária é acompanhar os relatórios de gestão das companhias, repassando o que for mais relevante para os investidores. As BDRs podem ser divididas em dois grupos: os patrocinados, que são aqueles em que a própria empresa tem interesse em oferecer esse investimento, e os não patrocinados, em que a instituição depositária tem a iniciativa de adquirir os papéis e emitir os certificados.

ETFs

Por fim, os ETFs são fundos de investimento que rendem conforme os índices da Ibovespa, replicando o índice de referência. Com esta escolha, o investidor não precisa acompanhar o desempenho da empresa. Ela funciona como outras ações, em que a pessoa escolhe os ativos que mais lhe agradam, sendo necessário apenas uma conta em uma corretora para começar a investir.

Outro diferencial interessante é que, apesar de ETFFs cobrarem uma taxa de administração, o valor costuma ser bem mais baixo do que o praticado em outros fundos tradicionais. Há ainda o fato do investimento mínimo ser baixo, com os principais fundos ligados ao Ibovespa e podendo ser adquiridos por menos de R$ 200. 

Por causa disso, é uma escolha interessante e indicada para quem está iniciando sua trajetória no mercado de investimentos, abrindo aos poucos a carteira em um mercado de alta volatilidade.

Responder